Tuesday

Croché em fio de Prata...silver wire crochet






Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket



Photobucket

Cristina Jorge
Peça realizada para exposição no Museu da Presidência da República (à venda no museu)


Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Colar em croché tubolar de prata e cobre anodizado - de Cristina Jorge
Esta peça foi premiada no concurso Cena d'arte
organizado pela Camara Municipal de Lisboa em 2001

O croché em fio metálico é uma técnica simples de aprender e não é necessário frequêntar cursos nem workshops de longas horas para adquirir a técnica. O essêncial é saber qual os materiais a utilizar, ter a noção que o metal não tem a mesma elasticidade que um fio de lã ou algodão e praticar tendo em conta que o segredo não é a força exercida mas a gentileza com que se tem a lidar com o material. Com o fio metálico pode-se fazer quase tudo o que se faz no croché com outros fios, basta adquirir revistas ou consultar na internet os pontos e escolher o que se quer desenvolver.

Relativamente a materiais e agulhas....o ideal é sempre a utilização de fios metálicos finos e maleáveis de forma que nos permita alguma flexibilidade facilitando o manuseamento da agulha ao entrelaçar o fio. É muito importante que cada pessoa faça as suas experiências e sinta com que tipo de fios e agulhas fazem o trabalho que mais se identifica. Não existe uma regra específica, apenas devemos ter em conta que de fio e agulha grossos resultam trabalhos grosseiros, pesados de laçadas grandes...fios e agulhas finos resultam a delicadeza, a minúcia de laçadas pequenas. Depois é só não ter medo de estragar fio metálico porque inicialmente o processo é sempre um pouco frustrante devido aos resultados normais de quem se inicia...fio estragado, croché amolgado, o normal de principiante. Devemos permitir-nos fazer asneiras sem desmotivar para depois obter bons resultados, este é um processo naturalissimo de quem quer ir longe...saber deixar-se errar com naturalidade.

E porque para quem se inícia é sempre importante ter dados objectivos, aqui vai...

Fio 0, 20mm ou 0,25mm de prata 1000 (ou 999, relativo ao grau de pureza...prata fina ou pura) e uma agulha de 1mm ou menos.





Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket






Alguns Livros com dicas de como tecer o fio de metal

Photobucket - Video and Image Hosting



Photobucket - Video and Image Hosting

Crochet with Wire
Nancie M. Wiseman




Photobucket - Video and Image Hosting

Knitting with Wire
Nancie M. Wiseman



Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Elegant Fantasy
The Jewelry of Arline Fisch


Photobucket - Video and Image Hosting

Twist and Loop: Dozens of Jewelry Designs to Knit and Crochet with Wire
Annie Modesitt


Photobucket - Video and Image Hosting

Bead Crochet
Bead & Button Editors


Photobucket - Video and Image Hosting
Bead Crochet Ropes
Judith Bertoglio-Giffin



Mais livros sobre Joalharia em

http://livrosjoalharia.blogspot.com/

http://learntocrochet.lionbrand.com/

Técnicas de Croché - Agulha de Ouro
http://www2.uol.com.br/agulhadeouro/cursos/index.htm


Lojas online fio metálico

http://www.wires.co.uk/
http://www.scientificwire.com/




CROCHÉ EM FIO DE PRATA

Photobucket
www.cristinajorge.com








Jóias - pedras preciosas - DIAMANTE



Diamantes - dimensões/cts (quilates)



Texto seguinte retirado de
http://www.joia-e-arte.com.br/diamante.htm

Diamantes

Lágrimas da terra Carbono puro, isso mesmo, essa é a composição desta pedra tão fascinante e desejada.Cristalizado sob altas pressões e temperaturas, nas mais profundas entranhas da terra há bilhões de anos.Para se ter uma ideia, a mais jovem rocha vulcânica da qual se extrai diamantes possui a idade de 70 milhões de anos. A origem do nome, "Adamas", é grega. Significa invencível, indomável.Foram trazidos à superfície por erupções vulcânicas, ficaram depositados nos locais de onde actualmente podem ser extraídos por métodos economicamente viáveis. As jazidas são encontradas, portanto, em terras vulcânicas, no entanto a maioria delas está localizada em depósitos aluvionais, formados pelas correntezas de rios. Em média 250 toneladas de minério são extraídas para que se obtenha 1 quilate de diamante lapidado.Seu sistema de cristalização pode ser monoclínico ou cúbico, de simetria normal. Os cristais exibem faces curvas ou estriadas e com depressões triangulares sobre as faces. A clivagem é octaédrica perfeita e fractura concóide. Sua dureza na escala de Mohs é 10. É a substância mais dura que se conhece. A outra única substância conhecida de igual dureza é o nitreto de boro (borazon) obtido artificialmente. O peso específico do diamante varia de 3,516 a 3,525. Pode apresentar uma variedade de cores partindo do incolor, amarelo, vermelho, alaranjado, verde, azul, castanho e preto. Seu índice de refracção é 2,4195.Se for submetido a altas temperaturas em presença de oxigénio, será convertido em CO2. Sem o contacto com oxigénio transforma-se em grafita, a 1900ºC.Dizem os especialistas que não existem dois diamantes iguais. Cada um é único e exclusivo, com suas características próprias.Têm-se notícia do surgimento dos primeiros diamantes por volta de 800 a C., na Índia.Um diamante passa por diversos processos até chegar à forma na qual costumamos vê-los em jóias. É preciso lapidá-lo para que adquira o brilho intenso tão característico.Foram os hindus quem descobriram que somente um diamante poderia cortar o outro. No entanto, esse povo apenas acentuava algumas "falhas" naturais da gema bruta, por receio na redução de peso.Mas um diamante só estará devidamente aproveitado em seu brilho quando totalmente lapidado.Com a lapidação a gema perde uma boa parte de seu peso, isso é inevitável para que se melhore seu efeito ótico, seu brilho e sua capacidade de decompor a luz branca nas cores do arco-íris.O mais belo corte (lapidação) para o diamante é o chamado brilhante, criado pelo joalheiro veneziano Peruzz, no final do século XVII. Essa lapidação tem a forma redonda e compõe-se de 58 facetas. Cada faceta é simétrica e disposta num ângulo que não pode variar mais de meio grau.As pessoas costumam errar ao dizer que querem comprar uma peça com brilhantes. A gema é diamante, brilhante é apenas o nome da lapidação. O diamante pode ser lapidado em diversas outras formas e lapidações e então não será mais "brilhante".Para ser lapidado um diamante deve ser primeiramente entregue a um especialista que examinará cuidadosamente a pedra buscando o melhor aproveitamento possível conjugado à valorização da pedra sob todos os aspectos.De início a gema deve ser clivada ou serrada. A clivagem é feita por meio de uma batida sobre uma lâmina. A gema será dividida.A pedra também pode ser serrada em partes, se assim indicar o especialista. Depois dessa fase o diamante segue para as mãos de outros profissionais, aquele que dá o formato básico da pedra, e os abrilhantadores que definem as facetas da pedra. Em geral esse serviço é especializado, há aqueles que fazem as facetas da parte de cima e a mesa; há os que fazem a parte de baixo (pavilhão) e há os profissionais que fazem a cintura da pedra.


Formação dos Diamantes

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketPhoto Sharing and Video Hosting at PhotobucketPhoto Sharing and Video Hosting at Photobucket




Refracção da luz nos diamantes







Lapidação de Diamantes




Corte do diamante







Destaque




LABGEM


Formação Gemológica - Cursos e workshops sobre gemologogia
Mais informação sobre gemas
Indice de cortes de Gemas - Desenhos




Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket











Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket